Que o medo da solidão se afaste e o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável. Que o espelho reflita meu rosto num doce sorriso que me lembro ter dado na infância, pois metade de mim é a lembrança do que fui. A outra metade não sei.
©